QUEIMA DE GORDURA, SOBREPESO E OBESIDADE - ISOMALTULOSE, PALATINOSE™*

ISOMALTULOSE, PALATINOSE™*, QUEIMA DE GORDURA, SOBREPESO E OBESIDADE

Palatinose - Beterraba

 

Isomaltulose, Palatinose™*, queima de gordura, sobrepeso e obesidade

 

Para os indivíduos que cuidam do peso, a contagem de calorias é uma prática comum para atingir seus objetivos. Embora a ingestão de calorias tenha um papel importante na perda de peso, há fatores adicionais envolvidos. Além de elementos como saciedade e densidade energética, também existe o potencial de direcionar o metabolismo para o processo de queima de gordura.

 

Pesquisas mostram que indivíduos obesos que queimam gordura mais lentamente tendem a continuar ganhando peso gradativamente. Portanto, a oxidação de gordura prejudicada parece ser um contribuinte importante para o ganho de peso a longo prazo, e o aumento da oxidação de gordura pode beneficiar o controle de peso e a composição corporal. Para quem está fazendo dieta para perder peso, a isomaltulose serve como uma ótima opção, pois ajuda a direcionar o metabolismo para o processo de queima de gordura e auxilia ainda mais na progressão da perda de peso.

A Isomaltulose Palatinose™* promove a queima de gordura em condições de sobrepeso e obesidade

Vários estudos analisaram os efeitos na queima de gordura e respostas metabólicas relacionadas quando adultos com sobrepeso e obesos consumiram isomaltulose Palatinose™ em vez de açúcares com as refeições (ou bebidas).

 

König et al (2012) compararam os efeitos da isomaltulose a uma referência de alto índice glicêmico na regulação metabólica e oxidação de gordura em adultos obesos com tolerância à glicose diminuída, com risco de desenvolver diabetes mellitus tipo 2. Os participantes consumiram alimentos e bebidas adoçados com isomaltulose ou com uma mistura de sacarose / xarope de glicose no café da manhã e almoço. Um período de exercício moderado foi incluído 2 horas após o café da manhã para investigar os efeitos tanto em repouso quanto durante a atividade física. O desjejum contendo isomaltulose foi seguido por uma resposta de glicose no sangue significativamente mais baixa e uma liberação de insulina mais baixa, em comparação com o desjejum contendo açúcares de alto índice glicêmico. Além disso, uma queima de gordura significativamente maior foi observada com a isomaltulose tanto em repouso quanto durante a atividade física.

 

No geral, a utilização de gordura com isomatulose foi cerca de 18% maior durante o período de observação de 7 horas, o que foi equivalente à queima de 8g a mais de gordura ou 72 calorias de gordura. Também foi observada uma tendência para um maior gasto energético geral (cerca de 50 kcal no total), o que foi atribuído ao aumento da queima de gordura com isomaltulose. Este estudo confirma os benefícios da substituição de carboidratos de alto índice glicêmico por isomaltulose em uma abordagem do tipo refeição nas respostas de glicose e insulina no sangue, regulação metabólica e oxidação de gordura.

 

Além disso, van Can e colegas de trabalho observaram um menor aumento nas concentrações de glicose no sangue, menos liberação de insulina, menos inibição da mobilização de gordura e um maior nível de queima de gordura quando a isomaltulose foi consumida no lugar da sacarose em seus estudos com adultos saudáveis ​​com sobrepeso (van Can et al 2009) ou aqueles com tolerância à glicose diminuída (Van Can et al 2012).

 

Melhorando a composição corporal e o peso corporal

Com o tempo, direcionar o metabolismo para a queima de gordura pode apoiar ainda mais as metas de peso e composição corporal, com menos efeitos inibitórios na mobilização da gordura do tecido adiposo e na utilização da gordura nos músculos. Além disso, embora um maior armazenamento de gordura no fígado tenha sido associado ao desenvolvimento de resistência à insulina, promover a queima de gordura ao invés do armazenamento de gordura no fígado com a isomaltulose pode apoiar ainda mais a saúde metabólica além do controle do peso corporal como tal.

 

Além disso, descobertas de estudos de intervenção em animais e humanos relacionam a isomaltulose a tais efeitos de longo prazo no acúmulo de gordura corporal, gasto de energia e peso corporal.

 

Melhorias na composição corporal e gordura corporal foram observadas em estudos de alimentação em ratos e camundongos, onde um menor acúmulo de gordura adiposa foi obtido com isomaltulose ou dietas contendo isomaltulose em vez de carboidratos glicêmicos mais elevados com ingestão calórica igual (Arai et al 2004, Fujiwara et al 2007, Sato et al 2007). Também estudos humanos de 12 a 16 semanas de duração observaram efeitos de longo prazo da isomaltulose no acúmulo de gordura abdominal em adultos obesos e naqueles com tolerância à glicose diminuída, ou seja, a gordura abdominal diminuiu com a isomaltulose ao substituir os açúcares (Yamori et al 2007, Okuno et al 2010) ou calorias do café da manhã (Oizumi et al 2007).

 

A relevância da escolha do carboidrato para perda de peso foi demonstrada por Henry et al. Em seu estudo de perda de peso de 12 semanas, homens obesos com sobrepeso que perderam peso com sucesso a partir de um balanço energético negativo foram capazes de atingir uma perda de peso e gordura ainda maior após substituir a sacarose por isomaltulose. Isso sugere que fazer uma pequena mudança na dieta a fim de substituir a sacarose por isomaltulose pode melhorar a perda de peso e gordura corporal em uma dieta com restrição calórica.

 

bandeira alemã*Palatinose é a marca comercial da melhor qualidade de isomaltulose do mundo, fabricada pela empresa alemã BENEO.

 

Uma boa estratégia para garantir a qualidade de procedência da isomaltulose é buscar produtos com esse selo: 

Referências:

Arai H, Mizuno A, Matsuo K, Fukaya M, Sasaki H, Arima H, Matsuura M, Taketani Y, Doi T, Takeda E (2004) Efeito de uma nova fórmula balanceada à base de palatinose (MHN-01) na glicose e metabolismo lipídico em ratos Sprague-Dawley machos após ingestão de curto e longo prazo. Metabolism 53 (8): 977–983. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15281004

Fujiwara T, Naomoto Y, Motoki T, Shigemitsu K, Shirakawa Y, Yamatsuji T, Kataoka M, Haisa M, Egi M, Morimatsu H, Hanazaki M, Katayama H, Morita K, Mizumoto K, Asou T, Arima H, Sasaki H , Matsuura M, Gunduz M, Tanaka N (2007) Efeitos de uma nova fórmula enteral à base de palatinose (MHN-01) dieta líquida ajustada por carboidratos na melhoria do metabolismo de carboidratos e lipídios em pacientes com câncer de esôfago complicado por diabetes mellitus. J Surg Res 138 (2): 231–240. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17254607

König D, Theis S, Kozianowski G, Berg A (2012) Uso de substrato pós-prandial em indivíduos com sobrepeso com síndrome metabólica após ingestão de isomaltulose (Palatinose ™). Nutrition 28 (6): 651–656. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22264450

Oizumi T, Daimon M, Jimbu Y, Kameda W, Arawaka N, Yamaguchi H, Ohnuma H, Sasaki H, Kato T (2007) Uma fórmula balanceada à base de palatinose melhora a tolerância à glicose, os níveis séricos de ácidos graxos livres e a composição da gordura corporal. Tohoku J Exp Med 212 (2): 91–99. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17548953

Okuno M, Kim MK, Mizu M, Mori M, Mori H, Yamori Y (2010) Açúcar combinado com palatinose em comparação com a sacarose: diferentes efeitos na sensibilidade à insulina após 12 semanas de suplementação em adultos sedentários. Int J Food Sci Nutr 61 (6): 643–651. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20367218

Sato K, Arai H, Mizuno A, Fukaya M, Sato T, Koganei M, Sasaki H, Yamamoto H, Taketani Y, Doi T, Takeda E (2007) Dietary Palatinose and Oleic Acid Ameliorate Disorders of Glucose and Lipid Metabolism in Zucker Fatty Ratos. J Nutr 137 (8): 1908–1915. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17634263

van Can JG, van Loon LJ, Brouns F, Blaak EE (2012) Respostas glicêmicas e insulinêmicas reduzidas após ingestão de trealose e isomaltulose: implicações para o uso de substrato pós-prandial em indivíduos com tolerância à glicose prejudicada. Br J Nutr 108 (7): 1210–1217. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22172468

van Can, Judith GP, Ijzerman TH, van Loon, Luc JC, Brouns F, Blaak EE (2009) Respostas glicêmicas e insulinêmicas reduzidas após ingestão de isomaltulose: implicações para o uso de substrato pós-prandial. Br J Nutr 102 (10): 1408–1413. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19671200

Yamori Y, Mori H, Mori M, Kashimura J, Sakamua T, Ishikawa PM, Moriguchi E, Moriguchi Y (2007) Perspectiva japonesa na redução do risco de doença no estilo de vida em brasileiros imigrantes japoneses: um estudo de intervenção duplo-cego controlado por placebo sobre palatinose. Clin Exp Pharmacol Physiol 34 (S5-S7). http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/j.1440-1681.2007.04759.x/abstract

Zurlo F, Lillioja S, Esposito-Del Puente A, Nyomba BL, Raz I, Saad MF, Swinburn BA, Knowler WC, Bogardus C, Ravussin E (1990) Baixa proporção de gordura para oxidação de carboidratos como preditor de ganho de peso: estudo de 24 horas RQ. Am J Physiol 259 (5 Pt 1) E650-7. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/2240203

#palatinose    #theonesupps    #suplementointeligente    #isomaltulose    #energia    #corpopuro    #corposaudavel    #healthygi    #palatinose    #vegan    #mundomelhor    #deus    #alimentosaudaveis #theonesupps

 

Sobre a loja

Loja de Suplementos Alimentares distintos frente aos tradicionais do mercado. Marca voltada ao público que aprecia o uso de alimentação inteligente via suplementação, sendo esta a mais natural possível, bem como com o maior grau de qualidade, sempre buscando aquilo que há de melhor no mundo. Nossa maior preocupação é comercializar produtos que antes de tudo façam bem ao organismo, para então depois atender as necessidades visuais dos nossos clientes. Entre em contato: contato@theonesupps.com

Social
Pague com
  • Pix
  • Pagar.me V2
Selos
  • Site Seguro

THE ONE SUPPS SUPLEMENTOS LTDA - CNPJ: 09.437.662/0001-06 © Todos os direitos reservados. 2022